5 alertas sobre o vício em drogas

Alguns sinais importantes sobre dependência química

O vício, em qualquer que seja a droga, é devastador. Com ele, uma série de fatores físicos e psicológicos se manifestam de forma severa e progressiva. É importante estar atento: as mudanças no comportamento de uma pessoa próxima podem denunciar que ela está dependente química.

Alguns alertas sobre o vício se fazem urgentes. Alterações mentais e físicas como alucinações e batimento cardíaco acelerado são só alguns dos perigos do consumo de drogas. Veja abaixo alguns alertas importantes:

1 – A necessidade de se drogar para lidar com problemas leva ao vício

Sabe aquela máxima “Depois dessa semana, só mesmo uma cervejinha”? Pois é. Muitos perigos moram nessa frase, aparentemente, ingênua. Ela é um dos símbolos da banalização do hábito de associar o álcool a sensações de alívio e fuga. Por ser uma droga lícita para maiores de idade, o senso comum ignora os seus perigos.

A necessidade de ficar ébrio para fugir dos problemas é uma escolha de graves consequências. Esse paradigma fortalece no indivíduo a falsa percepção que a droga causa: o prazer momentâneo. O “passaporte” para experiências com outras drogas pode começar a se abrir.

2 – O prazer é meramente momentâneo, mas o organismo não percebe mais isso

Duelar contra o prazer é difícil. Ele sempre fez parte do mecanismo de sobrevivência humana e é o ponto-chave do uso de drogas. Nosso organismo é ludibriado e passa a querer sentir mais essa sensação.

O prazer provocado pela droga não é saudável, pelo fato de os malefícios superarem as boas sensações instantâneas. É quando a euforia acaba e cede lugar às sequelas da dependência.

3 – O vício em drogas sintéticas faz a percepção da realidade ficar alterada

Ocorre uma distorção da realidade, interpretando um dos sentidos como outro. Por exemplo: ouvir cores, ver sons. Esse quadro é resultado da alteração do funcionamento cerebral causado pelas drogas, produzindo formas e contornos alterados, o que acaba modificando estímulos olfativos e táteis.

O uso de drogas sintéticas foi bastante romantizado pela cultura pop dos anos 60. O fato é que nenhuma dessas substâncias fará alguém mais poderoso ou atraente, ou qualquer que seja a satisfação procurada. Trazem, na verdade, diversos perigos à saúde, além de serem potencialmente viciantes.

4 – O vício aumenta o risco de infarto no dependente

O uso desmedido de drogas caracteriza o vício. Significa que o funcionamento do cérebro daquele indivíduo já foi modificado. Estão entre os maiores perigos do vício os danos à saúde, que não tardam a aparecer.

Um dependente químico tem 24 vezes mais chance de sofrer um infarto do miocárdio na primeira hora depois do uso de cocaína se comparado à população em geral. Falando especificamente da cocaína e do crack, a sensação de grande euforia aumenta os batimentos cardíacos. Isso força o coração a trabalhar mais. Uma das consequências é elevar os riscos do infarto.

5 – Uma vez dentro do vício, é necessário um tratamento para recuperar a saúde e a racionalidade

Como já foi dito acima, o funcionamento do cérebro é alterado com o uso constante de drogas. A droga faz com que a mente mude de paradigma e se torne escrava da sensação de prazer momentâneo.

O vício é uma questão de saúde. É por isso que existem tratamentos de recuperação para dependentes químicos. Não se deve criminalizar um dependente, mas ajudá-lo a superar esse momento difícil. É fundamental compreender esse alerta: o vício contém uma força devastadora que atinge a saúde física e mental. Só é possível vencê-lo com tratamento adequado.

Aos poucos, o cérebro volta a tomar decisões racionais e a saúde física vai se reabilitando. Mas é um processo longo e complexo que precisa ser feito com responsabilidade e profissionalismo.

Deixe seu comentário